Ao contrário do que diz o senso comum, os aparelhos auditivos não apenas amplificam o som. Se fosse assim, muitas pessoas não teriam seu problema resolvido. Nesse texto você vai entender como realmente funcionam os aparelhos auditivos!

Imagine alguém com baixa habilidade de ouvir sons agudos: se o som de uma música fosse simplesmente amplificado, ela continuaria incompreensível e desagradável. Porque, embora facilite a compreensão de sons agudos, essa amplificação afetaria também os sons mais graves. Proporcionalmente, então, aumentar o som não faria diferença na qualidade da audição dessa pessoa.

Mas para entender como, de fato, funcionam os aparelhos auditivos, precisamos antes compreender o processo natural da nossa audição e como ela pode ser afetada.

Como funciona nossa audição

Os sons são ondas sonoras que se propagam no ar. O ouvido externo é responsável por captar essas ondas e direcioná-las ao canal auricular.

Você já deve ter reparado que a parte externa da nossa orelha é cheia de curvas. Esse formato garante que as ondas sonoras sejam captadas e ainda nos ajuda a identificar a direção de onde vem o som. 

E então inicia um processo complexo:

  • O tímpano é o primeiro receptor interno do som: as ondas atingem essa pequena membrana e então ela vibra
  • Essa vibração é transmitida para o martelo, um pequeno osso que está conectado a outros dois ainda menores: o estribo e a bigorna
  • Ao passar pelos três ossos, a pressão causada pela vibração é amplificada devido à diferença das áreas das superfícies atingidas, acontece a soma da força das ondas sonoras com a força de atrito
  • A bigorna, por sua vez, transmite a pressão final (22 vezes maior do que a inicial) para a cóclea
  • A cóclea, mais uma parte do ouvido interno, tem formato de caracol e seu interior é preenchido por um líquido que também vibra quando a bigorna atinge sua superfície
  • Nas paredes da cóclea ficam as células ciliadas do ouvido que, a partir do movimento do líquido, têm seus fios balançados
  • Com esse movimento, as células transformam as ondas sonoras em sinais elétricos que, por sua vez, são enviados ao cérebro pelos neurotransmissores
  • Por fim, nosso cérebro recebe e interpreta o som

Como acontece a perda de audição

A perda auditiva pode acontecer de forma gradual ou repentina. Ela pode ser total, parcial ou ainda específica, como quando alguém perde a habilidade de ouvir sons graves, mas continua ouvindo sons agudos.

Há três tipos principais de perda da audição: condutiva, sensorial e mista. Normalmente, a perda auditiva condutiva é solucionada com procedimentos médicos simples e não há necessidade de aparelho. 

A maioria dos casos de perda auditiva neurossensorial ou mista é tratável com uso de aparelhos auditivos.

Aparelhos auditivos: como funcionam?

Cada aparelho auditivo tem propriedades e características específicas de acordo com a tecnologia utilizada e a necessidade do paciente. Entretanto, todos apresentam alguns aspectos em comum: os quatro itens principais (microfone, amplificador, alto-falante e bateria), e algumas etapas de funcionamento:

Aparelhos auditivos como funcionam

O aparelho auditivo é programado por um profissional de acordo com a necessidade de cada paciente. A análise e o ajuste descritos na terceira etapa do processo são previamente definidas pelo médico após o diagnóstico. Assim, cada paciente tem suas necessidades específicas atendidas e a qualidade de sua audição e de sua vida melhoram muito.

Pin It on Pinterest