fbpx

A coceira nos ouvidos é um problema mais frequente do que podemos imaginar. Por si só, não é uma doença, mas é um sintoma de outra patologia. As causas podem ser diversas e geralmente tratáveis com facilidade, como o canal auditivo externo seco, produção insuficiente de cera ou reações alérgicas. Porém, em casos mais graves, o prurido pode ser devido à existência de uma infecção ou doenças como a psoríase, sendo mais difícil de tratar.

Além disso, o prurido intenso em algumas condições pode ser acompanhado por outras enfermidades, como vermelhidão e inflamação da pele, descamação, dor e até, nos casos mais graves, sangramento. Não é frequente, mas em casos de prurido intenso, pode produzir irritabilidade, falta de concentração, insônia ou até ansiedade na pessoa que sofre.

Os tratamentos mais comuns consistem na aplicação de produtos para hidratar a pele na região e amenizar as irritações. Em caso de reação alérgica, pode ser necessário o tratamento com anti-histamínicos e em caso de infecção com antibióticos ou antifúngicos, se apropriado.

Alguns dos problemas que podem desencadear uma coceira nos ouvidos são:

1.Pele seca. A pele do canal auditivo externo pode tender a secar, causando coceira e descamação, especialmente se o ouvido não produzir cera suficiente.

2. Dermatite do canal auditivo. Geralmente causada por reações alérgicas que causam vermelhidão, coceira e descamação. O mais comum é que a dermatite seja causada pelo contato com algumas substâncias ou objetos que causam a alergia, geralmente cosméticos, shampoo, perfumes ou brincos.

3. Otite externa. É uma infecção no ouvido que pode causar dor, febre, coceira, corrimento e, nos casos mais graves, perfuração do tímpano.

4. Psoríase. É uma doença autoimune, que não tem cura e na qual se desenvolvem sintomas como manchas vermelhas, escamas ou rachaduras na pele e, como consequência, coceira. É o mais difícil de tratar, já que seus surtos geralmente são recorrentes, mas com higiene e tratamento adequados, eles podem ser controlados.

5. Gripes e resfriados também podem ter como um de seus sintomas coceira no canal auditivo devido ao excesso de muco.

6. O uso de aparelhos auditivos pode causar o acúmulo de umidade no interior do canal auditivo, especialmente no verão, o que pode irritar levemente a pele. Também no início do uso de aparelhos auditivos, pode ocorrer uma ligeira irritação, que geralmente desaparece em alguns dias. Nesses casos, é normal ir ao Centro Auditivo, onde o fonoaudiólogo nos dirá o que fazer. As chances são de que a aplicação de uma pequena quantidade de hidratante à noite, quando o aparelho auditivo não estiver em uso, resolverá o problema.

Nos casos em que a pele é simplesmente ressecada ou a produção de cera é insuficiente, recomenda-se o uso de lubrificação com produtos específicos ou com óleos naturais, como azeite ou óleo de amêndoa.

Em casos de sangramento ou perda de audição o mais recomendado é que o otorrinolaringologista seja procurado de forma imediata.

No entanto, o melhor remédio é sempre a prevenção. Deve-se prezar pela correta higiene dos ouvidos, evitar introduzir qualquer tipo de objeto no canal auditivo externo, principalmente hastes de algodão, proteger os ouvidos com tampões no caso de banhos frequentes em praias ou piscinas, evitar joias ou produtos que não sejam antialérgicos ou usando soluções que ajudem a secar o excesso de umidade dentro do canal auditivo. Essas práticas podem auxiliar na prevenção dos surtos de coceira.

Para oferecer as melhores garantias de segurança, os aparelhos auditivos ReSound são fabricados com materiais da mais alta qualidade e sob medida. Além disso, os profissionais da ReSound estão sempre à disposição do cliente para assessorá-lo em caso de dúvidas ou problemas. Para nós, o mais importante é a saúde e o conforto de nossos clientes.

Pin It on Pinterest

Abrir chat
Atendimento por WhatsApp